preloader
Subir
Compartilhar

A tecnologia favorecendo o dia a dia dos arquitetos

Full House Decoração 8 de dezembro de 2019 0 comments

 

A tecnologia é parte fundamental para a rotina de todo profissional de arquitetura. Atualmente, vários dos esforços de mercado são voltados para melhorar o planejamento das construções, a execução dos desenhos técnicos e a visualização dos volumes projetados.

Isso porque hoje em dia há softwares especializados que possibilitam adicionar diversas informações em um mesmo projeto, diminuindo a ocorrência de erros de compatibilização. Através dessa tecnologia, a utilização desses softwares (principalmente os que trabalham com o conceito de BIM) é essencial porque permite a automatização de quantitativos e outros tipos de extração de informações fundamentais para o bom andamento da obra.

É possível desenvolver uma animação por meio da pós-produção de plantas em 3D com bastante facilidade, já imaginou, projetos arquitetônicos de alta resolução?

Também é possível apresentar os espaços em realidade virtual de maneira simples e rápida, sem a necessidade de modelar previamente todos os espaços; utilizar uma única base de dados, garantindo que os projetistas estão com todas as informações atualizadas.

Curiosidade: Sabia que o cliente também pode se beneficiar da utilização de ferramentas tecnológicas para a visualização do projeto?

Isso porque uma vez que entender o motivo das decisões tomadas pelos projetistas possibilita uma participação mais ativa do consumidor, resultando em edifícios alinhados às suas expectativas. E além dessas melhorias, há a possibilidade de aplicar a tecnologia diretamente no canteiro de obras.

Através desse ambiente, a tecnologia auxilia a realização de orçamentos, controle do andamento da obra, monitoramento do estoque de equipamentos e materiais, bem como na automatização de tarefas diárias. As atividades que antes ficavam a encargo de arquitetos, engenheiros e demais trabalhadores, atualmente podem ser realizadas de maneira rápida e precisa com a ajuda de softwares.

 

  • Os softwares como aliados dos arquitetos:

Pode-se frisar também a possibilidade que alguns softwares têm de compartilhar, em tempo real, todas as atualizações da obra com o cliente ou com o mestre de obras, facilitando a comunicação entre todas as partes envolvidas, sendo o que geralmente contribui para aumentar o nível de satisfação de cada cliente

A relação de dependência entre tecnologia e arquitetura pode ser extensa, onde envolve a Internet das coisas (permissão de comunicação direta entre diversos equipamentos de uso pessoal, bem como entre estes e seus usuários, através de sensores e conexões sem fio), isso porque a tecnologia, ao contrário do que algumas pessoas pensam, não foi desenvolvida para fazer o seu trabalho no seu lugar.

A internet existe para tornar a rotina mais rápida e eficiente, uma vez que libera o arquiteto para desenvolver melhor a parte criativa sem se preocupar com tarefas que podem ser facilmente automatizadas. Se antes de usar os softwares você passava o dia inteiro para desenhar um projeto, hoje você gasta apenas algumas horas nisso, e todo o tempo que sobra pode ser empregado para aperfeiçoá-lo.

A tecnologia permite ao profissional de arquitetura o desenvolvimento aperfeiçoado ao que refere-se a parte criativa sem se preocupar com tarefas que podem ser facilmente automatizadas.

 

  • A tecnologia como sinônimo de praticidade:

 

A facilidade de realizar modificações permite que o cliente e o projetista entrem em sintonia rapidamente, o que costuma resultar na diminuição do prazo necessário para o desenvolvimento de um projeto. É importante frisar que realizar as mesmas entregas tradicionais apenas mudando seu formato para o digital não afeta tanto o processo.

 

A verdadeira vantagem de usar a tecnologia só pode ser constatada quando a incorporamos no cotidiano, resultando em mais tempo disponível para focar nos trabalhos que não podem ser feito por computadores.

A função do arquiteto tornou-se mais estratégica, uma vez que seu foco está voltado principalmente ao desenvolvimento da melhor solução para o cliente em um prazo bastante reduzido.

As ferramentas de modelagem 3D O principal objetivo da elaboração de modelos 3D é passar ao cliente a ideia de como os espaços projetados se relacionam entre si e convencê-lo de que a solução adotada é a melhor opção para aquele ambiente. Em outras palavras, os modelos em três dimensões conseguem traduzir tudo o que está escrito nos desenhos técnicos e memoriais do projeto, de maneira que qualquer um consiga entender.

A modelagem 3D pode ser usada para vender uma ideia que precisa ser aprovada, para divulgar um novo empreendimento a possíveis compradores e em muitas outras situações. Exibindo Os modelos em três dimensões conseguem traduzir tudo o que está escrito nos desenhos técnicos e memoriais do projeto, de maneira que qualquer um consiga entender

Os modelos em 3D permitem renderizar imagens e produzir pequenos vídeos para ilustrar como o ambiente ficará depois de pronto. É possível humanizar o projeto por meio de exemplos de usos, evidenciando as proporções dos espaços. Para isso, basta incluir pessoas vivendo naquele ambiente, carros circulando, opções de decoração, tudo isso alinhado a uma projeção da iluminação do ambiente, seja ela natural ou artificial.

Atualmente, alguns escritórios já contratam arquitetos e designers para trabalharem apenas com a parte de visualização do projeto. É uma área que cresce diariamente e ganha importância cada vez maior no mercado.

O trabalho mistura arquitetura e fotografia com o objetivo de criar imagens que transmitam muitas informações de maneira simples, possibilitando que clientes e arquitetos se comuniquem na mesma linguagem. Junto a esses profissionais, é comum ver designers gráficos e de animação. Eles conseguem usar os projetos para gerar pequenos vídeos do espaço antes mesmo de ele estar pronto, facilitando ainda mais a compreensão do ambiente.

Qualquer arquiteto já teve dificuldade de mostrar a relação entre os espaços projetados, principalmente quando tudo o que se tem disponível são as plantas baixas. Quem não tem o olhar treinado para enxergar além do desenho raramente vai conseguir entender toda a ideia.

A exibição da realidade virtual pode e deve ser adotada na arquitetura, possibilitando uma experiência única, ainda que completamente diferente. E para ajudar nessa hora, a realidade virtual oferece a possibilidade de visualizar o projeto de maneira simples e intuitiva.

Ao se sentir dentro do ambiente projetado, a pessoa entende com mais clareza as proporções entre os espaços e as decisões que foram tomadas. A tecnologia necessária para adotar a realidade virtual como elemento de visualização de projeto é simples e relativamente acessível. Provavelmente você já tem um smartphone e pode comprar um óculos de realidade virtual.

A maioria dos softwares é bastante segura, tem informações encriptadas e sigilo garantido. Mas é sempre bom ter uma cópia física dos documentos, orçamentos e informações essenciais de cada planejamento. Dessa forma, mesmo que aconteça alguma coisa com o sistema, você ainda acessa uma cópia de tudo o que precisa para seguir com a construção.

Resumindo, não há possibilidades de correr das transformações tecnológicas, pois elas estão presentes em muitos aspectos de nossas vidas. A melhor saída é tirar proveito de todos os benefícios que elas possibilitam por meio da capacitação, visando utilizar todas as ferramentas oferecidas.

É essencial ressaltar que os softwares e a automação de processos foram desenvolvidos para melhorar a produtividade do seu trabalho e que, para isso, muitas vezes é desejado adaptar seu jeito de pensar e projetar. A tecnologia é de grande ajuda em atividades mecânicas e repetitivas, por isso, deixe que essas tarefas sejam realizadas por softwares. Dessa forma, você conseguirá aumentar sua produtividade ao otimizar seu trabalho.

 

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat